terça-feira, 23 de outubro de 2007

1988: O Ano Que Não Acabou


Há pelo menos quinze anos, um sem número de Organizações Não Governamentais e outras instituições com poder de mídia e capacidade de influência sobre a opinião pública, têm contribuído para uma espécie de “afasia” nos nossos governantes, receosos das perdas políticas que pode trazer-lhes um enfrentamento direto da narcoguerrilha nas favelas cariocas.

Quando, em 1988, Robson da Silva, Cassiano Barboza da Silva e Ednaldo de Souza, respectivamente, “Buzunga, Cassiano e Naldo", bandidos da Rocinha, acordaram sobre a liderança e divisão de poderes nos seus negócios ilícitos, para evitar uma guerra interna que os enfraqueceria e, sob foco da mídia, Cassiano, o mentor intelectual do grupo, assegurou que começaria uma “revolução social” ali, vozes de apoio não lhes faltaram, inclusive no meio político, quando importante chefe de poder executivo declarou que aquele era “um processo de guerra civil informal entre os marginalizados e a sociedade formal, em cuja raiz estava a injustiça social”.

Dezenove anos foram se passando e, ao longo de todo esse tempo, acossadas pelo fantasma do desgaste político as autoridades preferiram o “absenteísmo”, a procrastinação, o olvido aos sinais do caos. Com receio de um arranhão no verniz que cobria suas intenções eleitoreiras, alguns governantes optaram por simular tratar do problema, adotando estratégias antagônicas, até, mas nunca efetivas ou capazes de restaurar a autoridade do Estado no seu território gradativamente tomado pelas hordas criminosas e insanas.

Também há dezenove anos, o Dr Carlos Maurício Martins Rodrigues, presidente da OAB-RJ, estupefato ante a audácia dos bandidos acima citados que desafiavam a ordem constitucional, declarou: “Sinto-me em pânico vendo isso acontecer. Os poderes públicos têm culpa e responsabilidade pelo que está acontecendo, e, se continuarem omissos, a tendência é a situação se agravar”. Dr Maurício enxergava o futuro com clareza, enquanto o atual presidente da OAB, Dr Wadih Damous não consegue ver os fatos ocorrendo à sua frente.

Aliás, sobre o insigne presidente da Ordem, se não há dúvidas de que lhe cabe, sim, considerações públicas sobre tudo que se lhe pareça violação de direitos ou injustiça, cometidos por qualquer pessoa física, jurídica e principalmente pelo Estado, talvez lhe fosse mais pertinente que não o fizesse com tamanha fúria contra quem têm feito esforço de sangue para não permitir que o crime tome conta da cidade. O risco, e ele agora sabe bem, de assumir posições paroxísticas, é ser contradito pela inexorabilidade dos fatos, realidade absoluta que desconcerta o discurso apaixonado.

“Não dá para fazer seminário com traficantes"!

O tráfico de drogas, como se apresenta no Rio de Janeiro, é a criminalidade na sua possibilidade mais abjeta, mais desumana, mais insensata e mais insana. Para as hordas da narcotraficância, nenhum valor humano tem supremacia sobre seu comprazimento no mal; sobre o gozo de seus instintos mais primitivos, promotores da dor do outro; dor física e dor moral.

Dia-a-dia, esvazia-se a tese anárquica da predestinação ao crime no desfavorecido social.
Não é verdade que a pobreza gera o criminoso.
Nem é verdade que a opulência, a abastança, promove o homem de bem.
Mas é hora de não se aconselhar com receios e ousar a paz para nosso Estado, mesmo que se tenha que enfrentar o próprio destino.
O tempo das relações promíscuas com o crime acabou.

14 comentários:

Anônimo disse...

adorei o texto
e dessa vez eu consegui entender tudo o que esta escrito nele!
parabéns! como sempre, muito sensato.

Anônimo disse...

corajoso e esclarecedor. continue assim coronel, que Deus o proteja.

Marco Aurélio.

Anônimo disse...

Ótimo.
Um resumo e uma síntese.

Carla

samuel disse...

Após um tempo volto a ler seus posts: fiquei um tempo sem internet.

Também apoio vêementemente a política de enfrentamento adotada pelo nosso governador Sérgio Cabral, na verdade apoio a maioria de suas idéias, ações e ideais. Na situação que se encontra o Rio de Janeiro, não só a cidade, mas o estado como um todo, é extremamente necessário um governador com pulso forte para responder à altura a audácia do tráfico de drogas. Também não podemos esquecer do secretário de segurança de pública, José Mariano Beltrame, que junto com o governador vem travando uma luta incessante contra o tráfico.
Faço referência também aos soldados que lutam diariamente nessa guerra, policias militares e civis: meus parabéns, a cada dia que passa fico mais certa que é essa a carreira que quero seguir.


Samuel Mourão, Macaé-RJ

Lyana Muniz disse...

Chega de hipocrisia. O preço a ser pago, agora, é caro, mas pode ser impagável se deixarmos para depois. O Estado está mostrando sua força e colocando a bandidagem, que mancha a raça deste povo trabalhador, para correr. É isso aí!!!

Anônimo disse...

coronel, parece que ainda não chegamos ao fundo do poço, sabe porque? Porque não chegamos mesmo, ainda estamos caindo. Vamos vencer coronel. E se chegarmos ao fundo do poço talvez seja melhor, porque agente escala ele cheio de garra.
Coronel eu li seu livro, parabéns é muito bom.

Anônimo disse...

Prezado caveira de número 37.
Acabo de ler seu livro. Levei apenas três hs sem conseguir me afastar dele.
Meu coronel, eu não conhecia nada sobre vcs do BOPE até que o filme Tropa de Elite explodiu na imprensa.
A partir daí tenho lido e pesquisado tudo sobre o BOPE e sua história.
E foi assim que cheguei ao seu blog e seu emocionante livro "incursionando no inferno a verdade da tropa".
Que a sorte esteja com a melhor tropa de combate urbano do mundo.
Gostaria de conhecer o batalhão do BOPE e o coronel Pinheiro comandante dos homens de preto.
Ainda chego lá.

Anônimo disse...

CORONEL PARABÉNS PELA ATITUDE, QUE O GRANDE ARQUITETO O ABENÇOE.

ENTRETANTO GOSTARIA DE REALIZAR UMA PERGUNTA AO SENHOR, A RESPEITO DE UMA MANCHETE QUE SAIU HOJE NO JORNAL O DIA NA PÁGINA 09,COM OS SEGUINTES DIZERES:

O BOPE TREME NA VOZ DO CAPITÃO NASCIMENTO.PROTAGONISTA DE TROPA DE ELITE, WAGNER MOURA CANTA UM REP PROIBIDÃO QUE DESCREVE "CAVEIRAS" COM MEDO DE IR AO DENDÊ.


DURANTE A TARDE DO DIA 31 A GLOBO EXIBIU ESSE TAL DE WAGNER NO VÍDEO SHOW, O RAP DE PARAISO TROPICAL, UM CLIP COM O PROTAGONISTA DE TROPA DE ELITE,CANTANDO O PROIBIDÃO "RAP DAS ARMAS" QUE DIZ QUE O BOPE TEM MEDO DE IR AO DENDÊ.NO VÍDEO ESSE TAL DE WAGNER SE DIVERTE.ENTRETANTO O QUE MAIS CHOCA A NOSSA SOCIEDADE É UM TAL DE EX-CAPITÃO PIMENTEL APROVAR A ATITUDE DESTE WAGNER , POIS APROVOU ""A BRINCADEIRA"",QUER DIZER CANTAM EM PÚBLICO ESSE TAL DE PROIBIDÃO , AINDA MAIS POR UM ATOR QUE É FORMADOR DE OPINIÃO,NESTE CASO NÃO É CRIME?

POIS HOJE EM VILA ISABEL UM TENETE DO EXERCITO FOI PRESO POR ESTAR COM O SOM DE SEU RÁDIO MUITO ALTO TOCANDO RAP PROIBIDÃO,COMO É OU SERÁ O CASO DESTE WQGNER E DESSE PIMENTEL?

ESTAMOS REALMENTE DESMORALIZADOS,ESTAMOS NO FIM DO POÇO.SE POSSIVEL GOSTARIA DE UMA RESPOSTA, POIS SOU CIVIL E NÃO ENTENDO O QUE ESTA CORRETO NESTE ESTADO.UM É PRESO POR ESCUTAR O RAP MAS O OUTRO PELO QUE ESTOU VENDO NADA ACONTECE POR SER ATOR DA GLOBO?É O FIM DA PICADA.

Anônimo disse...

PARABÉNS PELA ATITUDE, QUE O GRANDE ARQUITETO O ABENÇOE.

ENTRETANTO GOSTARIA DE REALIZAR UMA PERGUNTA AO SENHOR, A RESPEITO DE UMA MANCHETE QUE SAIU HOJE NO JORNAL O DIA NA PÁGINA 09,COM OS SEGUINTES DIZERES:

O BOPE TREME NA VOZ DO CAPITÃO NASCIMENTO.PROTAGONISTA DE TROPA DE ELITE, WAGNER MOURA CANTA UM REP PROIBIDÃO QUE DESCREVE "CAVEIRAS" COM MEDO DE IR AO DENDÊ.DURANTE A TARDE DO DIA 31 A GLOBO EXIBIU ESSE TAL DE WAGNER NO VÍDEO SHOW, O RAP DE PARAISO TROPICAL, UM CLIP COM O PROTAGONISTA DE TROPA DE ELITE,CANTANDO O PROIBIDÃO "RAP DAS ARMAS" QUE DIZ QUE O BOPE TEM MEDO DE IR AO DENDÊ.NO VÍDEO ESSE TAL DE WAGNER SE DIVERTE.


ENTRETANTO O QUE MAIS CHOCA A NOSSA SOCIEDADE É UM TAL DE EX-CAPITÃO PIMENTEL APROVAR A ATITUDE DESTE WAGNER , POIS APROVOU ""A BRINCADEIRA"",QUER DIZER CANTAM EM PÚBLICO ESSE TAL DE PROIBIDÃO , AINDA MAIS POR UM ATOR QUE É FORMADOR DE OPINIÃO,NESTE CASO NÃO É CRIME?POIS HOJE EM VILA ISABEL UM TENETE DO EXERCITO FOI PRESO POR ESTAR COM O SOM DE SEU RÁDIO MUITO ALTO TOCANDO RAP PROIBIDÃO,COMO É OU SERÁ O CASO DESTE WQGNER E DESSE PIMENTEL?
ESTAMOS REALMENTE DESMORALIZADOS,ESTAMOS NO FIM DO POÇO.SE POSSIVEL GOSTARIA DE UMA RESPOSTA, POIS SOU CIVIL E NÃO ENTENDO O QUE ESTA CORRETO NESTE ESTADO.UM É PRESO POR ESCUTAR O RAP MAS O OUTRO PELO QUE ESTOU VENDO NADA ACONTECE POR SER ATOR DA GLOBO?É O FIM DA PICADA.

Anônimo disse...

ORONEL O QUE O SENHOR ACHA DESTA NOTÍCIA?

Cópia do blog do Gustavo de Almeida


Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007
O horror

Nos últimos dez dias, dois soldados da Polícia Militar viveram histórias semelhantes: se arrumaram para sair, colocaram a bolsa de trabalho no ombro, se despediram da família, pegaram o ônibus e, quando chegaram aos respectivos batalhões, receberam o telefonema dramático: sua casa havia sido incendiada por traficantes.
As duas casas ficavam em comunidades de baixa renda - que é onde pode morar um soldado, que ganha 880 reais por mês e de vez em quando tem que comprar a própria farda por R$ 150. As famílias, por sorte e graça divina, foram poupadas. Mas quase tudo foi destruído. Casas queimadas por completo, restando algumas poucas roupas e objetos.
Em breve, mais detalhes das duas histórias. Vamos torcer para que as autoridades se mobilizem para tirar os dois soldados da situação de risco. Vamos torcer para que a sociedade expresse repúdio aos dois episódios, que devem ser notícia amanhã.
Vamos torcer para que a sociedade em geral pense (sim, nisso vale a pena pensar) que a segurança dos cidadãos está nas mãos de gente que tem a casa incendiada e a família expulsa. Gente que ganha R$ 880.R$ 29,33333333333333333 POR DIA
Você se sentiria seguro?

Postado por Gustavo de Almeida às 10:53

pmutopia disse...

Caro Comandante, achei maravilhoso o texto. E se encaixa muito bem com o que li no dia de hoje, nos diversos blogs espalhados por aí. Um por sinal reflete muito bem essa situação abordada pelo senhor, o blog do Gabriela Sou da Paz. Sintetizando, o ultimo post deste blog, a que me refiro, faz menção a criminosos, na verdade, assassinos, que são soltos por decisões "controversas" do STF. Ainda me pergunto o que está acontecendo... E até que ponto assistiremos calados a tamanha "surrealidade". Acho que é hora de uma comoção nacional, a segurança pública não é assunto apenas de polícia, pois a indignação é geral. A cada dia que passa a sociedade parece perceber mais claramente o nível de importância de uma polícia bem estruturada, e ela percebe isso porque a cada dia que passa é um amigo ou familiar qe derrama seu sangue ou é vitimado pelas inúmeras formas de violência.
Sinto-me muito honrado por ter sido forjado pelo senhor na APM D. João VI, e por ter tido exemplos como o Sr. Cap Wanderson e o Sr. Maj Wanderby. Dessa forma não posso permanecer inerte, e mesmo que erre e tombe, permanecerei tentando.

Tenente Ferreira 23 BPM - Leblon

Mário Sérgio de Brito Duarte disse...

Prezado Ferreira

Sua presença no blog é muito mais do que orgulho para mim; é uma honra, com certeza.
Embora tenha sido curta a jornada na Academia, com pouco mais de sete meses ensinando e aprendendo em cada experiência, vejo que a semente da luta pelo bem brotou, aqui e acolá.
Creio, Ferreira, em bem e mal, sim. Precisamos é descobri-los todos os dias, identificá-los e usá-los em benefício geral, através das ferramentas da intuição e da razão.
O bem a gente espalha, o mal evitamos, combatemos e transformamos em bem.
Eu caio e levanto todos os dias, meu prezado Tenente. Erro e acerto,
avanço, recuo e torno a avançar; só não procuro me aconselhar com receios.
Siga em frente.
Seu argumento é profundo e sua gramática excelente.
Que bom tê-lo por aqui.
Força e honra, Ferreira!
Somos uma Corporação de Bravos!

Mário Sérgio de Brito Duarte disse...

Prezados comentaristas do meu blog

Obrigado por vossas considerações.

Sobre aquela ou qualquer outra conduta do excelente ator Wagner Moura, que encarnou o Capitão Nascimento, não se esqueça que ele é ótimo artista, mas não é um Caveira, e:

- Nunca será! Nunca!

Sobre o publicado pelo também excelente jornalista Gustavo de Almeida, tal só ratifica meu discurso.

Hugo Rodolfo disse...

Parabéns Mário.
Agora acredito que você ainda é a mesma pessoa que conheci, quando no ano de 1989 fizemos o COEsp juntos. "Ousar sem receios....", excelente expressão!!!!
Acredito que a PM, como um corpo tem possibilidade de agir assim, caso tenha "o cabeça" certo para conduzi-la. Do contrário não será possível iniciar nenhuma mudança, social, política, muito menos institucional.
Abraços.
Semper Fidelis
Hugo Rodolfo - Caveira 48