domingo, 19 de abril de 2009

Obridado Susan; Obrigado Deus!

Eu estou escrevendo este texto sob intensa emoção.
Creio que já há algum tempo que eu tenha sido tragado por onda igual, tão expositora de emoções desconcertantes, dessa emotividade visceral que possuímos, mas esquecemo-la escondida no fundo do nosso oceano psíquico, em meio às tripas, posta longe dos “olhos do coração”.

Mas, foi impossível evitá-la ao ver a matéria.

Já a repeti, já a expus aos meus olhos (e meus ouvidos) duas dezenas de vezes.

Distribuí o link para minha mulher, para meus filhos, para amigos.

Muitos esperam a vida toda por uma oportunidade de júbilo, acalentam o sonho de se encontrar no ápice.

Poucos conseguem, e, seguramente, aqueles que não abrem mão dos seus sonhos; os que elevam seus pensamentos na direção de seus objetivos até distantes, por que difíceis e grandiosos, mas com a idéia precedendo a ação; a reflexão precedendo o agir.

Já tem algum tempo (acho que foi quando iniciei a leitura de Os Miseráveis e isso já faz muitos anos) que essa perplexidade ante a grandeza do que se avizinha, que se mostra como pequena ponta de iceberg, não me visitava, não me batia à porta.

Victor Hugo é o maior gênio literário com o qual “travei contato” e "Os Miseráveis" é a sua maior criação.

Para mim, que defendo a existência de “universalidades” na existência humana, acompanhando as “particularidades” dela mesma, o grande escritor francês me reforça a "crença" por meio das tragédias que vai relatando, inventariando, desfilando gêneros, características individuais, sociais e metafísicas, enquanto constrói uma ponte para travessia de outros grandes, universais e atemporais, capazes de emocionar o mundo pela singularidade de suas qualidades que a Providência deixou para exibir no Seu tempo e na Sua hora.

Estou emocionado revendo, agora, neste instante, a matéria sobre a escocesa Susan Boyle. Estou ouvindo-a!

Façam isso vocês!!!

Estou pondo o link aqui:

Não há nada, absolutamente nada mais interessante do que a história de Susan Boyle nos jornais deste fim de semana.

Não percam seu tempo com a política, com as notícias sensacionalistas sobre a economia, sobre a violência, sobre as ideologias, sobre as particularidades da segurança pública.

Vivo reclamando que há um vazio de boas novas, de notícias que me façam emergir do mar de dúvidas que muitas vezes tenho sobre os sinais de Deus quem demonstrem Sua preocupação com Suas criaturas, com Seus filhos.

Deus me deu Susan Boyle neste fim de semana de novas velhas notícias; de novas velhas e desimportantes notícias para me lembrar de Sua existência; para reiterar que a vida tem um fim, sim, e muito maior do que o que conseguimos vislumbrar nas construções efêmeras que realizamos aqui e ali, com muito pouco talento verdadeiro e como displicentes cumprimentos de obrigações.

Ele me deu a história, a simplicidade de Susan Boyle, cantando uma das canções de um musical baseado na obra de Victor Hugo, fazendo com que o meu fim de semana entediante e enfadonho se fizesse radiante.

Repito: - Não há nada, nenhuma notícia, nenhuma novidade, nenhuma informação que possa iluminar a minha ou sua alma neste fim de semana que não a história e a voz de Susan Boyle.

Agora peço licença, pois preciso rever velhos amigos que estão me aguardando na estante da sala:
- E ai!! Como vão vocês: Fantine, Jean Valjean, Bispo Bienvenu, Cosette, Marius Pontmercy, Gravoche ... ??!!

14 comentários:

Anônimo disse...

Maravilhoso! Essa mulher é o máximo!

Carla Cardoso disse...

Realmente em meio a tantas notícias ruins, tantas desgraças, manobras políticas conhecer a história de Susan é revigorante.
Me fez lembrar de uma música da Vanusa e Sérgio Sá, imortalizada na bela voz da vanusa "mudanças". Acho que toda mulher já pensou em algum momento da vida em fazer o que propõe a letra.

"Mudanças (Vanusa e Sérgio Sá)

Hoje eu vou mudar
Vasculhar minhas gavetas
Jogar fora sentimentos
E ressentimentos tolos

Fazer limpeza no armário
Retirar traças e teias
E angústias da minha mente
Parar de sofrer
Por coisas tão pequeninas
Deixar de ser menina
Pra ser mulher

Hoje eu vou mudar
Por na balança a coragem
Me entregar no que acredito
Pra ser o que sou sem medo
Dançar e cantar por hábito
E não ter cantos escuros
Prá guardar os meus segredos
Parar de dizer
Não tenho tempo prá vida
Que grita dentro de mim
Me libertar

Hoje eu vou mudar
Sair de dentro de mim
Não usar somente o coração
Parar de contar os fracassos
Soltar os laços
E prender as amarras da razão
Voar livre
Com todos os meus defeitos
Prá que eu possa libertar
Os meus direitos
E não cobrar dessa vida
Nem rumos e nem decisões
Hoje eu preciso e vou mudar
Dividir no tempo
E somar no vento
Todas as coisas
Que um dia sonhei conquistar
Porque sou mulher
Como qualquer uma
Com dúvidas e soluções
Com erros e acertos
Amor e desamor
Suave como a gaivota
E ferina como a leoa
Tranquila e pacificadora
Mas ao mesmo tempo
Irreverente e revolucionária
Feliz e infeliz
Realista e sonhadora
Submissa por condição
Mas independente por opinião
Porque sou mulher
Com todas as incoerências
Que fazem de nós
O forte sexo fraco"

É meu amigo,acho que de fato hoje eu vou mudar. Parabéns pelo post.

Anônimo disse...

A tá Bom. Parecia que era por outra coisa. Saída pela tangente? Ato falho?

Anônimo disse...

Fugindo um pouco ao assunto:

A Secretaria de Segurança Pública fez uma grande escolha ao nomear o Delegado Allan Turnowski para o cargo de Chefia de Polícia Civil.
Na minha opinião, o perfil da Polícia Civil à muito deveria se adequar a realidade. Sempre achei a posição do Delegado muito passiva, ou seja, nunca ( e raramente), vai às ruas, combate o crime, e se isolam nos seus gabinetes. Com a devida licença, o Dr. Allan, é um "Delegado-Operacional", policial mesmo. Daqueles que não vivem de terno e gravata apenas não. Ele vai á guerra, encara de frente e merece tal cargo. Espero que ele seja um espelho para os jovens delegados, que normalmente , temem ir às ruas e "se esquecem" de que são policiais e se escondem nos seus gabinetes e só "dando" ordens oas agentes para irem às ruas.
Enfim: parabéns a toda cúpula de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro por estar inaugurando UMA NOVA POLÍCIA CIVIL com a nomeação do Dr. Allan Turnovswki,que SE ADEQUA A NOVA REALIDADE!!!!

Victor

Anônimo disse...

Mais uma prova que "Não se deve julgar um livro pela sua capa"...

Tenente Ferreira disse...

Eu sei do que o senhor esta falando cmt, pois tambem senti a mesma coisa. Foi um "cala boca" inacreditavel, desconcertante. Uma vitoria sobre o preconceito no intimo dessa palavra, definida por uma pré-formação de idéias e conceitos. Não! Susan mos mostrou algo incrivel. Falando em livros, não sei se o senhor já leu Musashi, de Eiji Yoshikawa - se não recomendo que leia imediatamente. E, sendo ou não, parabéns, pois a duvida já é o bastante para demonstrar bastante coisa.

Abraços

Mário Sérgio de Brito Duarte disse...

Não li Ferreira, mas vou procurar para adquirir.
Obrigado pela dica.
Grande abraço.

Fabio Cardoso disse...

Oi Cel,
Muita legal a história dessa senhora. Bonita mesmo.
Quanto ao livro que o ten. Ferreira indicou estou lendo é realmente muito bom.Por causa dos eswtudos em tempo integral não estou tendo tanto tempo para ler. Sairam duas coleções uma com 3 livros médios e a que eu comprei em dois volumes de quase 1000 páginas cada.
Acho que o senhor iria gostar.

Até o próximo post se meu tempo permitir.
Um forte abraço,

Joana disse...

E por falar em "universalidades", acabo de ler " O Homem e seus Símbolos" de Carl Jung. Estava às voltas com ele já faz algum tempo e finalmente consegui dar cabo do mesmo. Excelente dica Cel, sobre a Susan, e o mais legal é ver que existem "milagres" cotidiano...

Anônimo disse...

Cel Mário Sérgio:

Gostaria de deixar registrado a BRILHANTE ESCOLHA do Cel Princípe para o cargo de comandante do 6º BPM.
O Coronel Princípe , é uma das RARÍSSIMAS EXCEÇÕES DE PROVA DE CARÁTER , HONESTIDADE E DECÊNCIA.
Na condição de cidadão, quero aqui deixar os meus parabéns pela brilhante escolha.

P.S: Se esta escolha partiu do Comando da PMERJ ou de uma sugestão da Secretaria de Segurança Pública, não me interessa, o que não podíamos era deixar um oficial do quilate do Coronel Princípe, fora de combate.

Ganha a PMERJ e mais ainda: a POPULAÇÃO DE BEM.

Diogo.

Anônimo disse...

Gotan City começa a ruir.

Parabéns!

Alvaro disse...

Prezados vizinhos e amigos de Santa Teresa e arredores,
É com prazer que anunciamos que o primeiro passo da campanha destinada a instalar o 1° Batalhão da Polícia Militar (bem como um Hotel de Trânsito para a PM) no prédio do antigo Hospital do IV Centenário (R Alm Alexandrino 1761) foi dado, o abaixo assinado já está disponível.
Além de propiciar maior segurança para nosso bairro (e os da vizinhança), tal mudança possibilitará que o 1° BPM ganhe instalações condignas e passe a se localizar na sua área de atuação. Assine o abaixo assinado eletrônico no endereço abaixo e chame a polícia para Santa Teresa:
http://www.abaixoassinado.org/assinaturas/assinar/4605
Álvaro Braga
1° Secretário do Conselho Comunitário de Segurança da 1a AISP e morador de Santa Teresa
Obs: para validar sua assinatura só é necessário o número do seu cpf ou da sua identidad. Repasse aos seus amigos...

Anônimo disse...

Existe sim algo que possa ser melhor do que o que escreveu esta escritora, que pois mais talentosa e competente nao pode responder aos anseios do coracao humano(nao que seja errado gostar dela ou apreciar o seu trabalho) mas, falo de algo que a maioria ja sabe - as escrituras sagradas. A Biblia sim e encantadora e completa - e a palavra viva de Deus. E ele nos ensinando o tempo todo. Experimente!

Anônimo disse...

Susan é como a PM, parece feia por fora, mas só quando se é apaixonado por ela, conseguimos ver o quanto é essencial para nossas vidas...